quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Como colocar e tirar o colete de Milwaukee

E aí galera!!!!

Olha só, hoje queria mostrar para vocês como é tarefa árdua colocar e tirar um colete de Milwauke (aparelho ortopédico indicado para casos de escoliose)! 
Achei no youtube dois vídeos demostrativos da Kelly Lyli, autora do Blog: Colete de Milwaukee um novo desafio.

No primeiro vídeo ela tem ajuda para colocar o colete. Vejam clicando aqui.

No segundo vídeo ela já consegue tirar sozinha. Vejam clicando aqui.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Data lançamento livro

Meus queridos!!!!! Mais notícia boa......

O livro já tem data de lançamento. E melhor, local também!

Sintam-se todos convidados desde já, mas em breve enviarei o convite oficial por email e facebook. Postarei aqui também.

Será dia 10 de novembro, quinta-feira, a partir das 20h, na Livraria Argumento (Leblon), no Rio de Janeiro.

Podem começar a se programar!!!!!

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Palmilhas posturais

Pois é gente. Vocês sabiam que alguns casos de escoliose são indicados para usar as tais palmilhas ortopédicas? Ou as vezes conhecidas como palmilhas posturais.....

O desvio da coluna muitas vezes pode fazer com que uma perna fique mais curta que a outra. Isso se dá por conta do desnivelamento da bacia, causado pela escoliose. As palmilhas ajudam a nivelar a bacia e ajudam a promover uma reprogramação postural.


É possível fazer um exame computadorizado chamado, Baropodometria, para estudar a pisada e por consequência a postura e assim desenvolver palmilhas personalizadas; individuais.  O que na verdade é o ideal.

Achei um site interessante sobre isso. Vejam só:



sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Moda para quem usa colete de Milwaukee

Esta é uma grande novidade meus queridos leitores! 

A querida Patricia Veiga, coordenadora de moda do caderno Ela do jornal O Globo faz uma participação mais do que especial no meu livro, com dicas interessantíssimas de como se vestir; do que fica bacana ou não, em quem está no tratamento com o uso do colete de Milwaukee.

Não resisti e aqui vai uma palinha para vocês. O resto só no livro!!!!


"Se você está usando colete e está adaptando seu guarda-roupa, é importante ter consciência de  que é possível disfarçar a rigidez do aparelho, mas não fazê-lo desaparecer por completo. Prefira tecidos de algodão e malha mais pesada à de gramatura leve, já que marca mais. É aconselhável também fugir de roupas justas, e procurar peças mais soltas sem, necessariamente, serem muito largas. A amplidão de tecido só faz aumentar o volume da silhueta." 

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

A postura faz toda a diferença

Galera, é impressionante como a consciência corporal faz toda a diferença na vida. Quando temos a exata noção da diferença entre o corpo totalmente relaxado e o corpo alinhado na postura, leva-se um susto grande. Para quem tem problema de coluna então, nem se fala. Para quem tem escoliose então, nem se fala mesmo!

Agora, toda semana, às terças-feiras, tenho conseguido entender o quanto um bom exercício de fisioterapia, atrelado à uma excelente professora, a querida Dr. Patricia Italo Mentges, muda toda a correção postural. 


Falta de glamour a parte, trouxe fotos para vocês:






terça-feira, 20 de setembro de 2011

Depoimento sobre escoliose congênita

Gente, esse depoimento da Rafaelle é emocionante! Eu precisava compartilhar com vocês. Vejam do que a escoliose é capaz. Vejam como este não é apenas um simples problema de coluna. Vejam como a Rafinha (para os mais íntimos) é uma guerreira.

"Meu nome é Rafaelle, tenho 17 anos, moro em Aracajú, no estado de Sergipe e nasci com escoliose (má-formação genética). Tenho uma irmã gêmea, porém ela não tem escoliose. Aos cinco anos comecei a fazer tratamento no Hospital Sarah de Salvador e tive acompanhamento médico, durante três anos. Fiz diversos exames, passei por vários médicos, porém a equipe decidiu não fazer a cirurgia, pois seria muito arriscado no meu caso. Depois disso não voltei mais lá, mas continuei com acompanhamento médico aqui mesmo em Aracajú. 
No ano passado descobrimos que eu tenho Apneia do sono. Desde então foi solicitado ao estado um aparelho chamado BIPAP (Bi Level Positive Airway Pressure). Demorou muito pra chegar.

E em setembro do ano passado tive uma parada respiratória. 

Devido ao meu problema na coluna, o meu pulmão do lado direito atrofiou e parou, então preciso usar oxigênio 24 horas. Não posso tirar, inclusive durmo com o aparelho, que logo em seguida chegou. Parei de frequentar a escola por não ter como ir por causa do oxigênio, porém continuo estudando em casa. Hoje faz 1ano que uso o oxigênio e, apesar de todos os meus problemas de saúde, sou uma pessoa muito feliz. Tenho uma família que está sempre ao meu lado (principalmente minha mãe e minhas irmãs), e as minhas amigas. Ser diferente é normal"




segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Capa do livro

Galera!!!! Tenho uma notícia e tanto...... a capa do livro foi definida e está pronta.


Muitos irão me perguntar se este é o Raio-X da minha coluna. Por isso, já adianto........ Sim!!!! É ela aí, em pessoa, já operada e com a barra de metal implantada.


Espero que gostem!


bjs e boa semana a todos.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Instituto Scientifico Italiano Colonna Vertebrale

Gente, essa semana tive minha segunda sessão de fisioterapia. Ah, que relax!!!! Saí de lá me sentindo outra mulher. A responsável por isso é a Dr.Patrícia e suas mãos de fadas.

O que eu quero falar hoje para vocês é sobre um projeto que melhoraria em muito a realidade das pessoas com escoliose no Brasil, caso fosse concretizado aqui. Aliás, é para que isso se torne realidade daqui a alguns anos, que a Dr. Patricia está lutando. Este ano ela teve a chance de conhecer pessoalmente o ISICO (Instituto Scientifico Italiano Colonna Vertebrale), em Milão na Itália. Achei chiquérrimo!!!! Eles se dedicam ao estudo, pesquisa e tratamento conservador da escoliose. Para quem não sabe, conservador se refere ao não cirúrgico.

Neste lugar, que já existe há mais de 40 anos, a fisioterapia é uma importante aliada ao tratamento da escoliose, principalmente dos pacientes que precisam usar o colete. Um colete diferenciado, aliás, desenvolvido por eles mesmos e muito mais moderno e menos desconfortável que o de Milwaukee. Estamos falando de fisioterapia estudada e especializada. Fisioterapia de qualidade. A ideia é que o paciente aprenda, no próprio Instituto, a fazer os exercícios em casa. São cerca de 8 a 10, com possibilidade de escolha entre 15 minutos por dia ou 45 minutos três vezes por semana. Assim, o tratamento passa a ser viável financeiramente, já que não é necessária uma sessão a todo momento. Fundamental neste projeto é a disciplina e consciência tanto do paciente quanto dos pais. Seguindo todo o tratamento recomendado certinho, com o devido acompanhamento, os resultados podem ser fantásticos. Em cerca de 80% dos casos, a cirurgia foi efetivamente evitada, com a estabilização ou regressão da curva.

A Dr. Patricia agora já tem o certificado para utilizar destes exercícios especiais aqui e inclusive já está colocando em prática, aos poucos, em seu consultório na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Tem gente vindo de outros estados para se tratar com ela dentro deste projeto.

Fica o recado e a dica para todos os que têm escoliose! 

O contato pode ser feito pelo seu blog ou pelo email: patriciamentges@gmail.com

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Na Mídia /In Press - Vídeo matéria Rede Globo

Meus sempre queridos leitores, está aí o vídeo para a matéria sobre escoliose que saiu na Globo hoje, com participação minha.

Sem dúvida nenhuma, mais uma grande conquista na luta a favor da conscientização deste desvio que nos gera tantos desgastes físicos e emocionais. O diagnóstico precoce é a saída!

Aproveitem! E compartilhem!

Conto com a ajuda de todos nesta caminhada....

Muito obrigada. Bjssss


segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Um exemplo a seguir na Escoliose Infantil

Vejam que exemplo é este menino de apenas três anos, que tem escoliose infantil. A mãe dele fez um video em comemoração ao fato de que ele conseguiu reduzir sua curva inicial de 63 graus a praticamente 14, usando o Mehta Method Cast, ou seja um gessinho que vai do ombro a cintura, só deixando a barriga de fora. A felicidade deles é linda de ver!

O que também chama a atenção é a quantidade de saltos e pulos que ele dá, sem se importar se está ou não limitado pelo gesso. Isso prova que o céu é o limite nesta vida.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Cifoescoliose

Pessoal, isso é o que eu chamo de escoliose complicada. Esse menino de 17 anos tem Cifoescoliose, uma combinação de cifose (corcunda) e escoliose (curva em S). O problema é o ponto que chegou a deformidade nele. É de assustar!!!


Bom fim de semana a todos!


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

A primeira fisioterapia a gente nunca esquece

Comecei a fazer fisioterapia para acompanhar minha escoliose. E pela primeira vez na vida. Preciso dizer que já de cara me senti muito bem, além de começar a entender como é importante a consciência corporal.

A Dr. Patricia Italo Mentges, que além de super parceira na luta contra a escoliose, é agora a minha fisioterapeuta querida. Nas quase duas horas que estivemos juntas nesta primeira sessão, ela me fez perceber como apenas alguns movimentos corretos, adiantam para correção postural e melhora de dores.

Tiramos duas fotos comparativas das minhas costas para vocês verem. A primeira é relaxada e a segunda é fazendo apenas três simples movimentos. Vejam a diferença no alinhamento da coluna.






segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Bastidores gravação para o Jornal RJTV da Globo

Oi gente...... Pois é! É isso aí! A menina da coluna torta virou pauta para matéria sobre escoliose do Jornal RJTV da Rede Globo. 

O convite surgiu na sexta-feira passada, já de noite. Também me pediram para achar um ou dois adolescentes, aqui do Rio que tenham o problema, para participarem da matéria. Foram três horas de tensão, mas por fim consegui dois, a Bia e o Caio, que vão arrasar na televisão!

A filmagem vai ao ar na próxima quarta-feira, 07 e setembro, na primeira edição, às 12h. Para quem é de fora do Rio, pode assistir ao vídeo pelo site do RJTV, uma ou duas horas depois que passar na televisão.

A minha gravação e da Bia foi hoje pela manhã. E claro, eu não podia deixar de tirar fotinhos para vocês!












quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A fisioterapia na luta contra a escoliose

Oi queridos, boa noite! Como eu já disse, nunca tive a indicação de fisioterapia, durante todo o meu tratamento da escoliose. Porém, essa é uma atividade, que sendo trabalhada em conjunto; em equipe (ortopedista, fisioterapeuta, paciente, pais), funciona bem na luta contra a escoliose. Não sou técnica, sou apenas paciente e estudiosa sobre o assunto. Mas tenho recebido e lido excelentes relatos sobre como a fisioterapia ajudou na escoliose. Claro que cada caso é um caso, e é preciso avaliar sempre com responsabilidade.

Abaixo um dos depoimentos que me chamou muito a atenção. 


"Tenho 17 anos e escoliose em "S" desde meus 14. O meu médico acredita que o motivo foi o crescimento muito rápido combinado com a musculatura "fraca". A minha curva inicial era de 73 graus, atualmente estou com 43°. 
Na época, a ideia de se fazer a cirurgia de correção foi deixada em segundo plano, acho que pelo fato de eu ser ainda muito jovem, não sei ao certo. A verdade é que tanto o meu médico, quanto minha fisioterapeuta, acreditaram que o meu caso poderia se reverter; claro com muito esforço... Confesso que foi um alívio, os riscos de uma cirurgia (no meu caso) seriam muitos, e isso me deixava 
extremamente nervosa, ou colocando em outras palavras: com muito medo! A hipótese de ter que usar o colete também me incomodava, não tanto pela "falta" de conforto, mais pela estética mesmo. Sabe como é né? Aquela velha insegurança de adolescente. Para meu alívio momentâneo, o colete também foi descartado.
Comecei a fisioterapia em 2009 e já na primeira sessão percebi que não seria nada fácil. A dor era intensa e constante também. Fazia somente as terças e quintas, mas a dor me acompanhava 
durante toda a semana. Cada sessão durava mais ou menos 1 hora, mas graças a esses 60 minutinhos eu ficava exausta, totalmente esgotada. Meu corpo até que aceitou bem os exercícios (uma surpresa
para todos, porque afinal, era uma escoliose bem severa). Mas acontece, que como todas as outras pessoas, eu também tenho meus limites, e por algumas vezes dei "um tempo" nas minhas sessões, principalmente pelo cansaço físico. Eu não aguentava mais sentir meu corpo latejando diariamente.
A curvatura reduziu 30 graus só com fisio mesmo. E de acordo com o meu médico, os resultados teriam sido ainda melhores se eu não tivesse dado esses "tempos" no tratamento.

A questão das "tentativas de ajuda" da minha família e dos meus amigos era complicada. Parece que todos combinavam entre si para me dizerem sempre: "Jana, poderia ser pior!". As intenções eram boas,
mas por mais que eu tentasse explicar que frases como essas não ajudam em nada, eu ainda as ouço até hoje. As pessoas tentam entender pelo o que estou passando, mas não fazem ideia de como está 
sendo a minha vida desde os 14 anos. Ninguém ao meu redor passou por uma situação parecida, sendo assim eu não espero compreensão, pois elas não sabem como é se sentir mal até mesmo
com a roupa mais linda. Ou nunca sabem o que é sentir vergonha de seu próprio corpo. 
Me considero uma pessoa comunicativa, gosto muito de conversar, mas quanto o assunto é a minha escoliose, eu simplesmente fujo da conversa, pois eu sei que a frase final de todos (sem exceção) será:
"calma, vai melhorar". Acontece que há três anos ouço frases de consolo como essa e não aguento mais!
Somente uma coisa é pior que a escoliose em si, e é o olhar de piedade das pessoas. Poxa vida, com tudo que já passei (e ainda estou passando), a última coisa que eu quero é pena.

Há algum tempo coloquei na cabeça que não daria mais importância a nenhuma frase feita, e muito menos àquelas pessoas que não entendem a minha situação. Confesso... é muito difícil "ignorar" a tudo e a todos. 
Continuo fazendo fisioterapia. Não por causa do "apoio" dos outros, mas por mim. O importante é alimentar a auto-estima sempre, e esperar, porque eu sinceramente acredito que bons resultados virão!!!

Obrigada Julia, eu nunca me senti tão à vontade para conversar sobre esse assunto!

Sabe, eu já tive muita vergonha de dizer que eu tenho escoliose. Hoje não me importo que as pessoas saibam e confesso que até sinto um certo orgulho quando penso que posso servir de exemplo para pessoas que estão passando pela mesma situação."

Janaína Moura - Curitiba/PR