domingo, 24 de julho de 2011

SpineCor: um colete diferente

Eu sou daquela filosofia de quanto mais confortável melhor. Aplico isso a tudo na minha vida e não poderia ser diferente na hora de visualizar o que seria o colete dos sonhos para crianças e adolescentes com escoliose. Nada de ferros, acrílicos e espuminhas que assam a pele. Nada de se sentir um ser de outro mundo sem os principais movimentos da coluna. Nada de roupas especiais e desconfortáveis para tentar esconder todo aquele aparato que envolve um colete para escoliose.
Esse sonho talvez seja realidade para algumas pessoas. E chama-se SpineCor, um confortável colete dinâmico feito de faixas elásticas, que permite ao paciente se movimentar normalmente e continuar com suas atividades normais no dia a dia. Mas atenção: ele só é indicado para casos de ESCOLIOSE IDIOPÁTICA (aquela sem causa definida). Fiquei bastante impressionada com o que li a respeito dos casos de sucesso com o Spinecor. Parece que ele tem estabilizado ou até corrigido a curva de cerca de 89% dos pacientes que podem ou optam usá-lo como tratamento. 
Ah, se eu soubesse de algo assim ou parecido com isso na minha época de Colete de Milwaukee. Iria até o fim do mundo atrás desta invenção revolucionária.

Agora a má notícia: o Brasil não está entre os 22 países que já possuem centros de tratamentos e representantes do Spinecor. Como sempre, estamos atrasados! Quem tiver a possibilidade de sair do país para se tratar: Corra! Vá buscar mais informações! 

Abaixo uma imagem para vocês conseguirem visualizar sobre o que estou falando. Reparem que o conforto é incomparável em relação aos coletes tradicionais que já conhecemos:


SITE SPINECOR

9 comentários:

Patricia Italo Mentges disse...

Oi Julia, realmente o SpineCor é mais confortável, mas como te contei na entrevista, estive no último congresso sobre tratamento de escoliose - SOSORT - ocorrido em Maio desse ano em Barcelona.
Lá se discutiu bastante a respeito dos coletes.
O Spinecor é maravilhoso para curvas menores e com caracterìsticas específicas de prognóstico de evolução da curva.
Ele é fantástico pois permite livre movimento da coluna em atividades físicas, desportivas, ballet, etc...
Mas não é indicado para curvas maiores, que exigem, infelizmente, os coletes mais rígidos.
Muita pesquisa tem sido feita para a garantia de segurança e efetividade dos tratamentos.
A boa notícia é que se for necessário o colete rígido, a Fisioterapia pode ajudar muito. Lembra que falei da importância da interdisciplinaridade? Pois é, se o médico prescrever o colete temos um tempo para ensinar exercícios que ajudarão na adaptação ao colete, o que tonará seu uso muito mais confortável.
Pena é que no Brasil a maioria dos médicos além de indicar o colete Milwaukee,raramente associam os exercícios fisioterápicos tão necessários nessa fase do tratamento.
Outro ponto importante é que na Europa e Estados Unidos, quase nâo se utiliza mais o Milwakee, considerado ultrapassado. Há coletes rígidos de melhor eficácia.
Eu também não gosto da idéia do incômodo causado pelo colete, tanto estético, físico como psicológico. Mas sei da sua necessidade para um futuro melhor para os portadores de escoliose. Em meus tratamentos priorizo essa questão, que sei é de suma importância.
Por essa razão precisamos de um belo projeto para começar a mudar a nossa realidade.
Espero poder ter ajudado mais um pouco.
Beijos de coração.

Nádia Lôbo disse...

Bom dia Júlia e Patrícia. Super bacana esse novo colete,menos doloroso em todos os sentidos para os portadores de escoliose!Amei a novidade. Boa semana,bjs

Julia Barroso disse...

Oi Patricia! Como sempre nos ajudando com boas informações! Eu imagino mesmo que o SpineCor não substitua os coletes tradicionais em casos mais graves. Imagina que beleza que seria? Todos que pudessem arcar com o custo, estariam livres do maior sofrimento que é usar o colete rígido.

Como o SpineCor é indicado para curvas menores, parece que só até 50 graus, mais uma vez fica aqui o apelo para que os pais tentem diagnosticar o quanto antes a escoliose em seus filhos. Desta forma, se pode conseguir tratamentos mais leves e menos sofridos.....

E sempre, a fisioterapia é fundamental!

Depois quero falar melhor com vc sobre os Congressos lá de fora....

beijos e obrigada como sempre

Julia Barroso disse...

Oi Nádia! Ótimo né? Talvez uma excelente solução para alguns casos.....

bjs em vc e boa semana!

Patricia Italo Mentges disse...

É isso mesmo Julia1 Fundamental é o diagnóstico precoce! fica tudo mais fácil.
Esperamos que a cada dia a Ciência possa evoluir no sentido de trazer mais qualidade de vida e bem estar aos portadores de escoliose, Nádia.
as coiss estão melhorando e tenho certeza que atingiremos nosso objetivo que é tratar com eficácia e acima de tudo com carinho.
Julia com certeza vamos marcar, temos muito para conversar!
Beijos...

Menina Azul disse...

Nossa, se isso existise no país há 19 anos minha vida não teria sido tão infernal!
Tomara que venha logo para o Brasil para trazer um pouco de conforto e menos vergonha aos que tem desvios de coluna!

Julia Barroso disse...

Oi Anna (menina azul), pois é, a minha vida tb teria sido BEM mais fácil, sem dúvida!

Vamos torcer para que o máximo de pessoas consigam usar o SpineCor ao invés do colete rígido.

um bj

Anônimo disse...

Ola Julia, sou pai de duas meninas diagnosticadas a duas semanas com escoliose (a com 12 anos esta com 23 graus e a de 11 com 13 graus) o médico já receitou o colete, fiquei apavorado, mas agora estou encontrando um novo caminho lendo seu blog...como posso ter maiores informações sobre este colete ? como poderia adquiri-lo? e estes outros coletes que utilizados hoje nos EUA e Europa? espero sua ajuda, meu email é bona.fe@hotmail.com

fabio Dionello disse...

OLÁ JULIA TENHO UMA FILHA COM QUASE 15 ANOS E ELA ESTA COM 35 A 37% DE CURVATURA E A ESCOLIOSE DELA FOI DESCRITA COMO ESCOLIOSE NEUROPATICA PROGRESSIVA VC TEM ALGUMA LUZ PARA ME DAR POIS ELA FAZ TRATAMENTO FISIOTERAPICO,PILATES,TO E USA COLETE TIPO TLSO
OBRIGADO MEU E-AIL É fabiodionello@yahoo.com.br

Postar um comentário